Untitled

Notícia do Jornal de Notícias: “Se o senhor coordenador do Centro da Área Educativa (CAE) de Viseu nos der a palavra, hoje, que as 14 crianças (ciganas) ficam a estudar em Rebordinho, por mim a escola de Teivas pode abrir já amanhã”, disse ao JN, Graça Coelho, mãe de uma aluna de Teivas. Recorde-se que a escola está fechada a cadeado, desde quinta-feira da semana passada, porque os pais consideram que, com as 14 crianças que o CAE quer enviar, a escola fica sobrelotada. Confrontado com a situação, o presidente da Câmara de Viseu, Fernando Ruas, condenou o fecho da escola e apelou ainda à tolerância étnica.

SOS Racismo

Organização sem fins lucrativos que combate o racismo na sociedade portuguesa. Tem como principais objetivos promover a reflexão, denunciar e intervir com vista a uma sociedade que respeita a igualdade de direitos para tod@s, sem discriminações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *