Untitled

Notícia do Primeiro de Janeiro e Diário Digital: A detecção de documentos de viagem, identidade e residência falsos aumentou 30 por cento o ano passado, em relação a 2005, indicam dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) incluídos no Relatório Anual de Segurança Interna de 2006. O número subiu de 1.070 em 2005 para 1.382 registados no ano passado, de acordo com o documento divulgado quinta-feira pelo Ministério da Administração Interna. A quase totalidade dos documentos fraudulentos (90 por cento) foi detectada pelo SEF no Aeroporto Internacional de Lisboa. Em relação às expulsões de estrangeiros em situação irregular, foram “afastados” do país 919 cidadãos, 396 por decisão administrativa, 319 conduzidos à fronteira e 204 por decisão dos tribunais. O relatório revela que o número de acções de fiscalização do SEF aumentou mais de três vezes no ano passado, em relação a 2005. O documento, divulgado quinta-feira, revela que em 2006 foram realizadas 3.688 acções de fiscalização, o que indica um aumento de 340 por cento relativamente às 1.076 realizadas no ano anterior. Dessa actividade resultou a detecção de 8,1 por cento de ilegais entre os quase 50 mil estrangeiros identificados.

SOS Racismo

Organização sem fins lucrativos que combate o racismo na sociedade portuguesa. Tem como principais objetivos promover a reflexão, denunciar e intervir com vista a uma sociedade que respeita a igualdade de direitos para tod@s, sem discriminações.