Untitled

Notícia do Diário de Notícias: “Morar aqui e trabalhar aqui é do pior que pode acontecer a uma pessoa”, confessou ao DN uma mulher ao balcão de um snack-bar no Casalinho da Ajuda, em Lisboa. Queixa-se que na freguesia “falta polícia e cada vez há aqui mais droga, mais armas e assaltos. Na semana passada até tiros houve”. A a insegurança “tem aumentado muito desde que realojaram aqui ciganos e africanos. Andam sempre à guerra e aos tiros uns com os outros e assaltam as pessoas. Os mais idosos até têm medo de sair à rua, mesmo durante o dia”, contou ao DN uma moradora, que se recusou a revelar o seu nome, por recear ser depois agredida por alguém. Na mesma zona, outra residente observou que “muitas senhoras vêm para aqui de carro, saem e deixam ficar lá dentro a mala. Dizem que não faz mal, porque só vão num instantinho ao cemitério. Depois, quando voltam, desatam a queixar–se que arrombaram as portas ou partiram os vidros do carro para lhes roubarem as malas. E atiram sempre a culpa para cima dos ciganos”.

SOS Racismo

Organização sem fins lucrativos que combate o racismo na sociedade portuguesa. Tem como principais objetivos promover a reflexão, denunciar e intervir com vista a uma sociedade que respeita a igualdade de direitos para tod@s, sem discriminações.