CICLO DE CINEMA DOCUMENTAL AMÉRICA LATINA – Quem pôs fogo aí ? – 12 de Outubro



QUEM PÔS FOGO Aí?(2005)

O assalto à embaixada de Espanha na Guatemala

Direcção: Lluis Crous

Duração: 51m


Às 11h do dia 31 de Janeiro de 1980, um grupo de camponeses e indígenas, apoiados por estudantes, ocupou a Embaixada de Espanha na Guatemala para denunciar publicamente os massacres que o exército do general Fernando Romeo Lucas García estava a levar a cabo no interior do país.

Às 13h30 a polícia invadiu as varandas do edifício da embaixada que às 15h ardia sem que ninguém pudesse actuar para salvar as pessoas que se encontravam lá dentro. Morreram 37 pessoas calcinadas. 25 anos depois retoma-se o tema, com a frase: “quem deitou fogo aí”, proferida por Gregório Yujá, o único sobrevivente que se encontrava no hospital, horas antes de ser sequestrado e assassinado. Uma investigação relatada por familiares e testemunhas que viveram esse dia que marcou a história da Guatemala e que continua a ser dominado pela impunidade absoluta.


Untitled

Notícia do Correio da Manhã: O ministro da Administração Interna, Rui Pereira, disse ontem em Beja que as políticas de imigração não devem ser encaradas como um simples “acto de peneirar”, defendendo ainda assim um combate “sem desfalecimento ao tráfico de pessoas e bens”. As recomendações foram feitas numa conferência sobre o tema, organizada pelo SEF.

Untitled

Notícia do Diário de Notícias: “Em casa. Agora é tempo de descansar e voltar ao normal.” A frase é de Marie Louise Casterman, a mãe das três meninas raptadas pelo pai na Bélgica e que ontem regressaram a casa depois de terem sido encontradas em Viseu há uma semana. À sua espera tinham todos os ciganos que residem no acampamento, bem como um batalhão de repórteres que aguardava o seu regresso.

Untitled

Notícia do Correio da Manhã: O êxito eleitoral conseguido pelos partidos da extrema-direita nas legislativas antecipadas que se realizaram no domingo na Áustria está a dificultar a missão dos sociais-democratas que, enquanto vencedores, tentam formar uma nova coligação.

Untitled

Notícia do Portugual Diário: Mário Machado foi condenado esta sexta-feira a quatro anos e 10 meses de prisão efectiva. A leitura do acórdão do julgamento do líder nacionalista e outros 33 arguidos acusados de discriminação racial revelou ainda que seis foram condenados a prisão efectiva, cinco foram absolvidos e os restantes têm penas suspensas, multas e um irá cumprir trabalho comunitário.