Untitled

Notícia do Correio da Manhã: A GNR desencadeou ontem, no Norte, uma megaoperação que resultou na detenção de 19 homens, com idades compreendidas entre os 18 e os 44 anos, por tráfico de droga, na sequência de 27 buscas domiciliárias, disse fonte oficial. A acção policial, cuja investigação começou há um ano, incidiu em Gondomar, Paredes, S. Pedro da Cova e Fânzeres.

Untitled

Notícia do Correio do Notícias: O Destacamento Territorial da GNR de Loulé, em colaboração com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), levou a cabo, na madrugada de ontem, uma operação de combate à imigração ilegal na cidade de Quarteira. Foram detectados cerca de duas dezenas de estrangeiros em situação irregular no nosso país, alguns dos quais acabaram mesmo por ser detidos.

Untitled

Notícia do Diário de Notícias: Um jovem luso-francês de 24 anos e a sua namorada queixam-se de terem sido agredidos, sem motivo, por um agente da PSP de Braga na madrugada de sábado. William Barros acusa o polícia de ter usado violência gratuita, deixando-o “todo pisado e cheio de nódoas negras”. A PSP apresentou queixa do jovem por desobediência. O agente em causa, Fernando Ribeiro, e William Barros foram ontem ouvidos pelo Ministério Público.

Untitled

Notícia do Primeiro de Janeiro: A entrada, permanência e saída de estrangeiros em Portugal tem novas regras a partir de hoje, dia em que entra em vigor a nova Lei de Imigração, que, no entanto, ainda carece de regulamentação. “Queremos alertar a população imigrante em Portugal para que não tenha pressa ou se sinta pressionada com a entrada em vigor da nova Lei de Imigração, porque só alguns aspectos da lei vão começar a funcionar de imediato, uma vez que ainda falta o decreto regulamentar para que o diploma funcione na sua plenitude”, disse ontem Timóteo Macedo, membro da Comissão Coordenadora da Plataforma das Estruturas Representativas das Comunidades de Imigrantes em Portugal (PERCIP) e do Conselho Consultivo sobre Imigração.

Untitled

Notícia do Primeiro de Janeiro: O Museu da Imigração situa-se em Lausanne, na Suíça, onde a maioria da população tem origem noutro país. Porém, este espaço museológico dedicado às migrações é “muito mais do que um museu”, conta o fundador Ernesto Ricou.Dedicado exclusivamente à perspectiva humana da imigração mundial, os objectivos do Museu da Imigração, fundado em Outubro de 2005, são exclusivamente sociais e humanitários. Sendo assim, neste espaço, o que realmente importa são as pessoas, as suas vivências, histórias ou mesmo os seus problemas.

Untitled

Notícia do Diário de Notícias e Correio da Manhã: O Tribunal de Instrução Criminal (TIC) do Porto reduziu ontem substancialmente o número de crimes de que era acusada a advogada Elisabete Chaves, envolvida num esquema de legalização de imigrantes clandestinos. A juíza deixou cair os crimes mais graves, como lenocínio, burla e extorsão. Manteve, contudo, a pronúncia por auxílio à imigração ilegal, falsificação de documentos e corrupção activa. No total, Elisabete Chaves vai a julgamento por 252 crimes, o que lhe pode ainda valer, por cúmulo jurídico, 25 anos de prisão.