Untitled

Notícia do Diário de Notícias: “Isto é um pandemónio”, queixam-se moradores do bairro social Fundação D. Pedro IV, na freguesia de Mira-Sintra, criado há cerca de cinco anos pela Câmara de Sintra para realojar pessoas que viviam em barracas no Cacém de Cima. Insurgem-se contra os ciganos que montaram barracas e roulottes nos parqueamentos situados por baixo dos prédios. Acusam-nos de “fazer barulho, andar aos tiros e a vender droga e armas”. A situação já se arrasta há cinco anos, mas agravou-se desde há um mês, devido a “guerras entre duas famílias ciganas”. Um residente conta ao DN que “na cave B do lote 4 morava um cigano com a mulher e um filho. Ele é do melhor que há aqui, mas teve de fugir, porque gerou-se por aí uma rixa com outra família de ciganos. A briga começou há um mês”.

Untitled

Notícia do Diário de Notícias, Portugal Diário, Diário de Digital, Correio da Manhã e Jornal de Notícias: A estudante portuguesa de 17 anos que acusa dois guias turísticos de a terem violado num Hotel de Lloret del Mar, na costa da Catalunha, regressou ontem à noite a casa de avião. Os suspeitos, um luso-brasileiro e um guineeense, ambos na casa dos 20 anos, funcionários da agência de viagens portuguesa LOL Lloret, saíram em liberdade depois de serem presentes a um juiz no tribunal de Belanes e também estão de volta. Mas o caso será agora acompanhado pela justiça portuguesa. Os incidentes terão ocorrido na madrugada de quinta-feira. Por volta das cinco da manhã, a estudante algarvia, de Vila Real de Santo António, abandonou sozinha a discoteca Tropics, um dos pontos obrigatórios da noite nesta localidade. Segundo vários testemunhos ouvidos pelo DN, tinha bebido, apesar de a venda de álcool a menores de 18 anos ser interdita em Espanha. O seu hotel, o Sanmarti, ficava a cerca de 300 metros de distância.