Untitled

Notícia do Diário Digital e Portugal Diário (Internacional): Milhares de pessoas manifestaram-se, este sábado, em Paris, contra um projecto-lei que descrevem como de «imigração descartável», enquanto algumas confissões religiosas pediam humanidade no tratamento da questão. Segundo os organizadores, entre dez mil e quinze mil pessoas protestaram contra o projecto de lei sobre imigração do ministro do Interior, Nicolas Sarkozy, que começa a ser debatido terça-feira no parlamento. A polícia não divulgou números sobre a adesão à manifestação, convocada pela plataforma «Unidos contra uma Imigração Descartável», integrada, nomeadamente pelo SOS Racismo, pelo Movimento contra o Racismo e pela Amizade entre os Povos (MRAP).

Untitled

Notícia do Jornal de Notícias e Diário Digital (Internacional): A primeira versão em castelhano do hino dos EUA, que já suscitou grande polémica, estreou ontem no meio de um debate sobre a política migratória. Para depois de amanhã estão previstas manifestações em defesa dos imigrantes. Nos Estados Unidos, 69% dos cidadãos considera «inapropriado» que se cante o hino nacional em espanhol, segundo um inquérito efectuado a 1.011 adultos, entre 28 e 30 de Abril.

Untitled

Notícia do Público: A atribuição de bolsas de estudo pelo Governo português a estudantes africanos de países lusófonos leva à sua fixação em Portugal, em vez de contribuir para o desenvolvimento das suas nações de origem, refere um relatório da Organização do Comércio e Desenvolvimento Económico (OCDE) que avalia as políticas de cooperação em Portugal. Governo reconhece falhas apontadas no documento e vai mudar atribuição de apoios para formação.

Untitled

Notícia do Primeiro de Janeiro e Público: As comemorações do 50º aniversário da Fundação Calouste Gulbenkian têm início a 18 de Julho deste ano e prolongam-se até ao final de 2007. De acordo com Rui Vilar, presidente da instituição, a imigração e a “interculturalidade” vão marcar a extensa agenda de actividades.

Untitled

Notícia da Lusa (Internacional): O Departamento de Imigração da Austrália divulgou hoje uma lista de 24 atletas e dirigentes esportivos que permanecem ilegalmente no país após o fim dos Jogos da Commonwealth, realizados em março. A lista inclui cidadãos de Moçambique, Canadá, Reino Unido, Camarões, Nigéria, Trindade e Tobago, Índia, Tonga, Gana e Tanzânia.

Untitled

Notícia do Diário Digital (Internacional): A Liga dos Cidadãos Unidos da América Latina (Lulac) lançou duras críticas a um jogo virtual que incita à defesa das fronteiras dos EUA. O videojogo tem como objectivo impedir a imigração ilegal «a qualquer preço».
Diversos sites racistas e homofóbicos divulgaram o jogo «Border Patrol», que chega a muitos cibernautas via e-mail. O responsável pela página que o distribui ainda não foi identificado.

Untitled

Notícia do Jornal de Notícias e Portugal Diário: Portugal foi o país europeu que mais recusou a entrada de brasileiras suspeitas de serem vítimas do tráfico internacional com fins de exploração sexual no ano passado, revela um estudo da representação da ONU no Brasil. O estudo foi realizado com 175 mulhereXs no momento em que regressavam ao Brasil, depois de terem sido deportadas ou não aceites pelas autoridades de imigração no estrangeiro.

Untitled

Notícia do Público e Correio da Manhã: O número de jovens que aderem ao movimento nacionalista é cada vez maior, revela um relatório do Serviço de Informações de Segurança (SIS) hoje citado pelo “Correio da Manhã”. O SIS considera os movimentos de “skinheads” e neonazis portugueses “um factor de risco efectivo para a segurança interna” e apurou que a mobilização é feita sobretudo pela Internet e no âmbito das claques de futebol. De acordo com o documento do SIS, os grupos não constituem uma ameaça à democracia portuguesa, mas são “já um factor de risco efectivo para a segurança interna, no tocante ao incitamento e promoção da violência política e racial”.

Untitled

Notícia do Correio da Manhã: O tráfico de mulhereXs oriundas do Leste da Europa tem Portugal como um dos países de destino. Segundo o primeiro relatório do Gabinete das Nações Unidas Contra a Droga e o Crime (ONUDC) destinado a avaliar a dimensão do tráfico de seres humanos, ontem divulgado, o nosso país apresenta uma “incidência média” do fenómeno. Portugal Diário: Grande parte das vítimas de tráfico humano encontradas em Portugal são classificadas como imigrantes ilegais e notificadas para sair do país. A denúncia é feita ao PortugalDiário pela porta-voz da Amnistia Internacional, Claudia Pedra, que acrescenta que «Portugal é considerado um país de risco médio porque não há dados que permitam avaliar a verdadeira situação».