Untitled

Notícia do Jornal de Notícias (Internacional): A IBM, gigante dos computadores, pediu ao Supremo Tribunal da Suíça para bloquear um processo, movido por uma organização defensora dos direitos dos ciganos, por alegada ajuda à política nazi de extermínio, durante a II Guerra Mundial. A organização acusa o grupo empresarial de ter vendido à Alemanha nazi máquinas Hollerith de cartões perfurados, antepassadas do computador, sabendo que iriam ser usadas para localizar e identificar vítimas.

Untitled

Notícia do Jornal de Notícias: O realojamento das famílias ciganas que estavam acampadas em Creixomil, junto à Variante, apesar de não ser polémico, tem conhecido alguns percalços (…) Conforme referiu Magalhães, as movimentações do município não podiam ter “conotação xenófoba”, apesar de reconhecer que do ponto de vista estético, não é nada recomendável. Mais ainda em ano do Euro 2004.

Untitled

Notícia do Jornal de Notícias: O êxito de Francis Obikwelu centra atenções nos estrangeiros que escolhem deixar de o ser. O número de pedidos de naturalização aumentou consideravelmente no ano passado. Depois de uma subida notória em 2000, a quantidade de pedidos deferidos manteve-se ao mesmo nível até ao ano passado, em que houve 2043 novos cidadãos nacionais por esta via, o que representa um acréscimo de 80% em relação a 2002.

Untitled

Notícia do Portugal Diário: Quinhentas famílias de Santo Tirso vão ter novas casas até 2006 no âmbito do Programa Municipal de Realojamento, avaliado em cerca de 1,1 milhões de euros, anunciou hoje o presidente da autarquia. A propósito da entrega, domingo, de 18 novos fogos, António Castro Fernandes disse à Agência Lusa que a habitação social é, a par do saneamento básico, a principal preocupação da autarquia, que entregou até ao momento cerca de 100 casas a famílias carenciadas. De acordo com o autarca, as cerca de 100 famílias que receberam casa nova, entre as quais se inclui a comunidade cigana que vivia na Quinta de Geão, foram realojadas junto dos seus locais de origem, mantendo as raízes.

Untitled

Reportagem no Portugal Diário: Associação de direitos humanos acusa polícias, escolas, autarquias e o Estado de encobrirem racismo. A discriminação racial é crime. Mas ninguém é condenado (…) As queixas de discriminação racial não param de chegar ao SOS Racismo. «Temos casos de imigrantes que são maltratados por outros cidadãos, pelas autoridades policiais, pelas empresas. A própria lei de imigração e a atitude do Estado é de não receber os imigrantes. Mas são eles que trabalham, ilegalmente, nas obras importantes do país. A legalização para eles é um calvário. Nós só queremos a igualdade para todos. As agressões racistas só vão parar quando o Governo assumir o seu papel de defender todos os cidadãos».

Untitled

Notícia do Correio da Manhã: O Governo considera que a Convenção Internacional sobre a Protecção dos Trabalhadores Migrantes e suas Famílias se sobrepõe à legislação nacional no que respeita aos direitos dos imigrantes, pelo que não faz sentido subscrevê-la. A Convenção foi adoptada pela ONU em 1991, mas apenas entrou em vigor a 1 de Junho de 2003, altura em que foi atingido o número mínimo de 20 países signatários. Na altura, mais de 20 organizações não governamentais, entre as quais a Amnistia Internacional, a Associação de Reencontro de Emigrantes, a Associação Solidariedade Imigrante, a Obra Católica Portuguesa de Migrações e o SOS Racismo, apelaram ao Governo português para ratificar a Convenção.

Untitled

Notícia do Diário de Notícias (Internacional): Mais de meio milhão de imigrantes que residem e trabalham em Espanha ilegalmente poderão regularizar a sua situação nos próximos meses, segundo novas regras anunciadas esta semana pelo Governo. Para isso, basta que tenham um contrato de trabalho e um registo municipal de residência. A intenção do Executivo abriu já um debate nacional sobre estas medidas que pode provocar uma «revolução» no panorama político, legal, social e laboral da imigração.

Untitled

Notícia do Diário de Notícias: O Instituto Nacional de Estatística (INE) prevê a entrada de cerca de 300 mil imigrantes até 2010 e mais 400 mil até 2050. Só assim Portugal conseguirá evitar uma quebra significativa da população. E, mesmo com saldos migratórios positivos, os 10,3 milhões de residentes de 2000 passarão a 9,3 milhões em 2050, menos um milhão de pessoas.

Untitled

Notícia do Público (Internacional): O primeiro-ministro italiano jantou ontem com Kadhafi. Apesar de se desconhecer ainda o teor da conversa, é quase certo que a palavra Lampedusa terá sido várias vezes pronunciada. A pequena ilha de 5000 habitantes, no sul de Itália, é uma das principais portas de entrada da imigração clandestina africana, organizada pelas máfias líbias.

Também o Público apresenta uma cronologia dos principais naufrágios com imigrantes em Itália nos últimos anos.