Relatório da Amnistia Internacional aponta o dedo à Europa nas questões da Imigração

Saiu esta semana, um relatório da Amnistia Internacional intitulado “The human cost of Fortress Europe: Human rights violations against migrants and refugees at Europeans borders” que revela dados importantes, alguns já amplamente abordados por inúmeras organizações de Direitos Humanos e Anti-racistas. Nele são denunciadas a externalização das fronteiras e os seus custos, a sua real ineficácia, a falta de coordenação e solidariedade entre os diferentes países da UE para estas questões e um dado que nos parece relevante para a discussão séria que é preciso ter acerca deste flagelo: a maioria dos Imigrantes que tentam a todo o custo entrar na Europa não o faz à procura de trabalho, mas sim a fugir de conflitos e a proteger as suas próprias vidas.

A concessão do asilo a estes cidadãos tem um impacto económico e social marginal na maioria dos países Europeus embora, perante esta evidência, no seio dos partidos de extrema-direita e na sociedade civil se continue a discutir que é preciso controlar a imigração porque não haver trabalho para todos num ambiente de crise económico-financeira.

Mas não é só a falta de políticas sérias para a Imigração no espaço Europeu, mas também o desinteresse em reconhecer e discutir as constantes violações dos direitos humanos a que estes cidadãos estão sujeitos.

Por último, importa sublinhar que este quadro de violação de direitos humanos é criado e potenciado por uma União Europeia, que há bem pouco tempo foi galardoada com um nobel da paz.

Disponibilizamos aqui o Relatório integral.

Respostas das Candidaturas às Eleições Europeias a Questionário do SOS Racismo

Thumbnail.axdConforme anunciado, o Movimento SOS Racismo enviou às candidaturas às Eleições Europeias, um pedido de esclarecimentos quanto a vários temas relacionados com a defesa da igualdade de direitos, a imigração e o combate à discriminação, em especial, ao racismo e à xenofobia no seguinte questionário.

 

Questionário SOS Racismo às candidaturas para as eleições europeias 2014

 

Este pedido de esclarecimentos foi remetido para os contactos oficiais de e-mail dos Partidos, das suas candidaturas e dos seus mandatários, bem como, para os respectivos sítios electrónicos e páginas de facebook.

 

De acordo com o que havíamos proposto, enviamos agora todas as respostas que recebemos, referentes às seguintes candidaturas:

 

Resposta do LIVRE

Resposta do PAN

Resposta do PDA

Resposta do PCP (CDU)

Resposta de Os VERDES (CDU)

Resposta do PS

Resposta do MPT

Resposta do MAS

Resposta da ALIANÇA PORTUGAL (PSD/CDS)

Resposta do BE

 

Aproveitamos para agradecer às candidaturas que responderam ao pedido do SOS Racismo, que muito enriquecem o debate sobre os temas propostos, os quais não são normalmente focados em época de campanha eleitoral.

Caderno #5 SOS Racismo

O caderno #5 do SOS Racismo é dedicado à carta de Lampedusa.

A Carta de Lampedusa é o resultado de um processo constitucional e para a construção de uma lei de fundo que reúne as reivindicações de várias associações Europeias pelos Direitos Humanos presentes em Lampedusa entre 31 de Janeiro e 2 de Fevereiro, após a morte de mais de 600 homens, mulheres e crianças em naufrágios no Mediterrâneo na tentativa de alcançar a Europa.

O caderno terá a carta de Lampedusa traduzida em várias línguas e estará disponível em breve.

Tertúlia “Imigração e Europa”

No dia 11 de abril na Casa da Beira tivemos uma tertúlia sobre a imigração e Europa com a presença de Luís Guerra do Observatório dos Direitos Humanos, Filipe Martins do Centro Comunitário São Cirilo, Nilce Costa da Associação Mais Brasil e Nuno Silva do SOS Racismo. O debate foi precedido de duas reportagens sobre os imigrantes que arriscam a vida para entrar na Europa por Ceuta e Lampedusa.

 

Com a sala cheia discutimos o estado atual da imigração na Europa e as posições políticas da união Europeia relativamente a Lampedusa.